0
Shares
Pinterest Google+

Meta é melhorar a informação sobre a segurança da doação

Ministério da Saúde orienta para que os brasileiros doem sangue no hemocentro mais próximo antes de serem vacinados contra a doença. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para incentivar a doação voluntária e regular de sangue, o Ministério da Saúde realiza nesta terça-feira (23) o dia D da campanha “Meu Sangue Brasileiro”. Até agora, não houve desabastecimento no país, mas, em 2020, por causa da pandemia de covid-19, houve queda no número de doações de aproximadamente 20%. 

A reposição frequente dos estoques de sangue é necessária para tratar anemias crônicas, cirurgias de urgência, acidentes que causam hemorragias, complicações da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves.

Este ano, o objetivo da campanha é melhorar o auxílio e a informação sobre a segurança no que diz respeito ao ato da doação de sangue em meio a pandemia.

Todas as medidas de segurança em relação à covid-19 estão sendo adotadas pelos hemocentros do país desde o início da pandemia, como condições de higiene e antissepsia adequadas na recepção dos candidatos, coleta do sangue sem exposição a aglomerações de pessoas por meio de agendamentos e distanciamento entre as cadeiras de coleta. Enquanto dá sequência  à campanha de vacinação contra a covid-19, o Ministério da Saúde orienta para que os brasileiros doem sangue no hemocentro mais próximo antes de serem vacinados contra a doença.

Períodos de restrição

“A população precisa estar ciente sobre os períodos de restrição para doação de sangue após receber a vacina. Por isso, enfatizamos a importância das pessoas fazerem as doações antes de receberem a vacina. A doação de sangue é segura e não contraindica a vacinação, podendo, inclusive, receber a vacina logo em seguida à doação”, garante o coordenador-geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Rodolfo Firmino.

Segundo dados do ministério, atualmente a taxa de doação de sangue voluntária da população brasileira é de 1,6%, número que está dentro do preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2019, o governo investiu R$ 1,5 bilhão na rede de sangue e hemoderivados no Brasil e R$ 1,6 bilhão em 2020. O valor diz respeito à aquisição de medicamentos e equipamentos, reformas, ampliação e qualificação da rede.

Saiba mais

Você pode doar sangue nos postos fixos do Hemocentro ou nas coletas de equipes móveis:

Triagem É realizada com o candidato a doação uma entrevista que tem como objetivo caracterizar riscos para o receptor e verificar contra-indicações a doação.

Liberação Os hemocomponentes permanecem em “quarentena” aguardando a liberação dos resultados dos exames, isto é, cerca de 24 a 48 horas. Só depois são disponibilizados para serem transfundidos.

Preparo Nesta fase, já dentro dos hospitais, os hemocomponentes são compatibilizados para os pacientes que necessitam. Exames imuno-hematológicos Amostras de sangue dos doadores são tipadas para o sistema ABO e Rh.

Posto Unicamp – Hemocentro Rua Carlos Chagas, 480, Cidade Universitária, “Zeferino Vaz”, Barão Geraldo – Campinas – SP 0800-722-8432 (19) 3521-8705 Seg a Sáb (Inclusive Feriados): 7:30h – 15:00h

Posto Mário Gatti – Hospital Municipal Dr. Mário Gatti Av. Prefeito Faria Lima, 340 Pq. Itália – Campinas – SP (19) 3272-5501 (19) 3772-5758 Seg a Sáb (inclusive em feriados): 7:30h – 14:00h

Posto Sumaré – Hospital Estadual de Sumaré Av. da Amizade, 2400 Jardim Bela Vista – Sumaré – SP (19) 3883-8909 (19) 3883-8900 Seg a Sáb : 7:30h – 12:00h

Posto Piracicaba – Hemonúcleo Av. Independência, 953, Alto (na Santa Casa) – Piracicaba – SP (19) 3422-2019 Seg a Sáb : 07h30 – 13h00

Com informações da Agência Brasil

Previous post

Mulheres contrataram mais e demitiram menos em fevereiro

Next post

Saiba como usar os serviços digitais do Poupatempo

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *