1
Shares
Pinterest Google+

Ciclovia Opasa tem 3,7 km; investimento foi da ordem de R$ 1,4 milhão.

A nova ciclovia tem 3,7 km de extensão e foi implantada em uma faixa de dutos, cedida pela empresa Transpetro. Foto: Divulgação/Emdec

As obras de construção da Ciclovia Opasa, que recebeu o nome de Ciclovia Luiz Gustavo Bombonatti Pereira, e liga o Corredor Campo Grande ao Corredor Ouro Verde, foram concluídas. A nova ciclovia tem 3,7 km de extensão e foi implantada em uma faixa de dutos, cedida pela empresa Transpetro. A construção, por meio de parceria, foi realizada pela empresa Tegra. Os investimentos foram da ordem de R$ 1.440.000,00.

É a primeira ciclovia do município que liga os dois principais corredores de transporte público. Ela começa a partir do cruzamento entre as vias Cormorão e Canário, no Bairro Vila Padre Manoel de Nóbrega, próximo ao Campus II da PUC Campinas. Passa pela Avenida John Boyd Dunlop, quase ao lado da futura Estação BRT Roseira / PUCC, na região do Corredor BRT Campo Grande. Segue pelo leito da faixa de dutos até o cruzamento com a Rua Madre Eduarda Shafers, próximo à Avenida Carlos Lacerda, passando perto do Terminal Vila União e finalizando na região atrás do Terminal BRT Santa Lúcia, no Jardim Santa Lúcia, região do Ouro Verde.

As pistas da ciclovia são de concreto armado, com largura de três metros. A ciclovia está equipada com acessibilidade nos cruzamentos com as calçadas. E recebeu sinalização vertical (placas) e horizontal (pintura de solo). Foto: Divulgação/Emdec

A ciclovia não interfere na rede de oleodutos. A tubulação de óleo mais próxima da superfície está enterrada a quase um metro de profundidade. Durante toda a obra, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) contou com o acompanhamento técnico da Transpetro.

A construção, por meio de parceria, foi realizada pela empresa Tegra. Os investimentos foram da ordem de R$ 1.440.000,00. Foto: Divulgação/Emdec

Faixa de oleoduto

A faixa é formada por dutos enterrados a uma profundidade segura; e é aberta à circulação de pessoas. É permitido andar a pé sobre a faixa, de bicicleta, ou de carroça. Há trechos livres para carros, respeitando às leis de trânsito.

A Transpetro também autoriza e incentiva o plantio de hortas ao longo das faixas de dutos, como forma de preservação da área contra atitudes indevidas (como fogueiras, estacionamento de veículos pesados, descarte de entulhos e plantios não indicados).

A faixa de dutos é demarcada por marcos quilométricos. Os dutos geralmente estão localizados nas extremidades dos canteiros centrais. Neste caso, no cruzamento entre as avenidas John Boyd Dunlop e Brasília.

Previous post

Taxa de desocupação no país registra 13,8% de maio a julho

Next post

Avenida JBD tem liberação de sistema viário do BRT e ativação de nova ponte no Jardim Rossin

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *