Home»Bem-estar»Estado de SP tem 18% de aumento de internações e o governo adia nova flexibilização

Estado de SP tem 18% de aumento de internações e o governo adia nova flexibilização

1
Shares
Pinterest Google+

O novo anúncio da reclassificação do Plano São Paulo  foi transferido para 30 de novembro

O momento requer precaução para uma análise mais completa para a proteção da população”, afirmou Doria. Foto: Divulgação/Governo de SP

A média diária de novas internações ligadas à covid-19 em São Paulo subiu 18% na última semana, segundo dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 16, em coletiva de imprensa. Com o aumento, o governo João Doria (PSDB) decidiu adiar em duas semanas a reclassificação do Plano São Paulo, que colocaria quase 90% do Estado na fase verde, de maior flexibilidade da quarentena e de reabertura econômica.

A média aumentou de 859 novas internações diariamente, na penúltima semana, para 1.009 na semana passada. O número é o maior registrado nas últimas cinco semanas epidemiológicas, ou seja, desde a primeira semana de outubro.

Já os dados parciais de óbitos (média de 88 por dia) e casos (média diária de 3.664) são os mesmos da semana anterior. Eles ainda dependem de consolidação, pois foram prejudicados por uma pane na plataforma do Ministério da Saúde nos últimos dias.

Com a decisão, o novo anúncio de reclassificação do Plano São Paulo foi transferido desta segunda-feira para 30 de novembro, um dia após o segundo turno das eleições. “O momento requer uma precaução para uma análise mais completa, para proteção da população, cautela e cuidado”, justificou Doria.

De acordo com a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, o aumento no número de internações na última semana variou individualmente entre 14% e 19% nos diferentes hospitais, tanto na rede pública quanto privada.

Com informações do Jornal O Estado de SP

Previous post

Mata de Santa Genebra abre inscrições para visitação de grupos

Next post

Além da capital, 15 municípios paulistas terão segundo turno eleitoral

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *