Home»Variedades»Etnoturismo e ecoturismo em terras indígenas

Etnoturismo e ecoturismo em terras indígenas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Projetos de visitação em terras indígenas unem iniciativas de geração de renda com preservação cultural e ambiental

Reserva Pataxó. Foto: Walquíria Henriques/ MTur

As datas comemorativas são uma ótima inspiração para a definição de roteiros de viagem. O Dia do Índio, comemorado nesta quinta-feira, 19 de abril, por exemplo, chama a atenção para projetos que utilizam o turismo como meio de resgate da cultura indígena, preservação do meio ambiente e geração de renda para as comunidades, prática cada vez mais comum no país.

Em todas as regiões, há comunidades abertas à visitação. É o caso da Reserva Indígena Pataxó da Jaqueira situada a apenas 12 km do centro de Porto Seguro (BA). São duas opções de roteiro: visitas com duração de 3 horas ou vivências com pernoites na aldeia. Os preços variam de R$ 75 a R$ 475 reais, incluindo degustação ou refeições, segundo a agência que organiza os pacotes em parceria com os indígenas. Entre as atividades programadas estão: caminhada pela Mata Atlântica, demonstração de tipos de armadilhas usadas para captura de pequenos animais; arremesso de arco e flecha; ritual de confraternização com música e dança; e finalmente a degustação de peixe assado na folha de patioba. Nos passeios com pernoites são incluídos banhos de rio, oficinas de artesanato e luau.

Também perto do mar, a Terra Indígena Guarani do Ribeirão Silveira, localizada na praia de Boraceia, em São Sebastião (SP), a cerca de 200 km de São Paulo, é outra opção de lazer associada à cultura. Ali vivem cerca de 550 índios da etnia Guarani Mbya que mantém viva suas tradições por meio de manifestações culturais como a música, a dança, o artesanato e a agricultura de subsistência. “Temos várias opções de trilhas para cachoeira, apresentação de canto e dança, venda de artesanatos, pintura corporal, palestras e comida típica”, conta o cacique Adolfo Timotio, responsável pelo agendamento de visitas. Em comemoração ao Dia do Índio, a Prefeitura de São Sebastião realiza na aldeia, em abril, o Festival da Cultural Indígena do Rio Silveiras.

 

 

No sul do Brasil, índios Guarani do Paraná e Santa Catarina, reunidos no projeto Rede Solidária Papyguá, trabalham em projeto de turismo atualmente com cinco roteiros disponíveis. Cada aldeia cria a sua programação para colocar o turista em contato com os costumes locais. No entanto, são comuns a realização de palestras de acolhimento, caminhadas na mata, jogos e brincadeiras tradicionais, refeições com a típica comida Guarani, e, em alguns casos até pescaria. Além de vivenciar o dia a dia da comunidade o turista pode levar para casa peças de artesanato Guarani e, em algumas aldeias, óleos essenciais produzidos com plantas da região.

No Acre, uma imersão na floresta é a proposta dos índios Yawanawás da área indígena Rio Gregório, onde vivem cerca de mil índios em sete aldeias.  As vivências, realizadas em pequenos grupos, são “oportunidade de conhecer a cultura Yawanawá de forma mais íntima e profunda”. Pintura corporal, banhos de ervas e argila, roda de defumação, caminhada até a Samaúma, a maior árvore da Amazônia; cerimônias deUni (Ayahuasca) fazem parte do roteiro oferecido ao visitante. Anualmente, em outubro, a aldeia Nova Esperança é palco do Festival Yawa, onde são relembradas danças, cantos, comidas tradicionais e rituais da comunidade. O pacote para os cinco dias de festa que inclui, transporte a partir do Rio Gregório, hospedagem e alimentação custa R$ 4,5 mil, segundo o cacique Bira Jr.

As iniciativas de etnoturismo e de ecoturismo em terras indígenas são disciplinadas pela Instrução Normativa Nº 3 da Funai. De acordo com a fundação, as comunidades indígenas têm autonomia para explorar projetos de turismo em seus territórios, cabendo ao poder público o papel de monitorar e fiscalizar as atividades nas aldeias. As visitações são agendadas com os próprios representantes das comunidades ou agências de turismo autorizadas por eles.

Com informações do Ministério do Turismo

Post Anterior

Sinfônica homenageia o compositor Nino Rota na Mostra de Cinema Italiano

Próximo Post

Viracopos tem alta recorde de movimentação de carga no ano

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *