Home»RMC»Ambulantes são notificados para retirada de barracas das calçadas dos condomínios do Matão, em Sumaré

Ambulantes são notificados para retirada de barracas das calçadas dos condomínios do Matão, em Sumaré

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+
A operação atende determinação do Ministério Público Estadual e às reclamações dos moradores dos condomínios Amparo, Lindoia, Serra Negra e Poços de Caldas – Foto: Divulgação/PMS

 

 

Em uma operação conjunta entre a Guarda Civil Municipal de Sumaré, fiscais da Secretaria de Obras, agentes de trânsito e a Polícia Militar, cerca de 20 ambulantes foram notificados na manhã desta sexta-feira, dia 18, para a retirada das barracas das calçadas dos condomínios da região do Matão. O prazo é de sete dias.

A operação atende determinação do Ministério Público Estadual e às reclamações dos moradores dos condomínios Amparo, Lindoia, Serra Negra e Poços de Caldas, que somam 1.136 famílias do empreendimento habitacional Jardim das Estâncias. Com as barracas nas calçadas da Rua Eduardo Hoffmann, os moradores eram obrigados a andar nas ruas, em meio aos veículos, colocando sua segurança em risco. Além disso, as famílias também reclamavam de perturbação de sossego durante a madrugada.

“O Código de Posturas do nosso município não permite o comércio ambulante em calçadas e vias públicas. Nosso dever é fazer cumprir a lei e, principalmente, garantir a segurança dos nossos munícipes e a qualidade de vida”, explicou o prefeito Luiz Dalben.

Foram empenhados para a operação 30 guardas municipais, 10 fiscais da Secretaria de Obras, quatro agentes de trânsito da SMMUR (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Rural), além de 10 policiais militares. Segundo o secretário municipal de Segurança Pública, Ricardo Zequin, a ação ocorreu pacificamente, sem confronto.

“Os fiscais entregaram as notificações aos comerciantes que estavam em suas barracas e, naquelas que estavam fechadas, a notificação foi colada na porta. Os responsáveis têm sete dias para desocupar a calçada e, caso o prazo não seja atendido, procederemos para a retirada e apreensão das mercadorias que ainda estiverem no local”, informou Zequin.

Post Anterior

FJPO está com inscrições abertas para mais uma edição da Visita Monitorada

Próximo Post

Prefeitura pagará para propriedade rural conservar água e solo

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *