Home»Cultura»Ciclo de Cinema e Literatura no MIS estreia com filme de Truman Capote

Ciclo de Cinema e Literatura no MIS estreia com filme de Truman Capote

0
Shares
Pinterest Google+
Cena de “A Sangue Frio”, clássico tem sessão gratuita e debate – Foto: Divulgação

 

O filme “A Sangue Frio”, de Richard Brooks, baseado no romance homônimo de Truman Capote, é uma das atrações do ciclo Cinema & Literatura, que acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS) neste mês de agosto. O longa será exibido neste  sábado, 5, às 17h,  com curadoria do crítico de cinema e jornalista Ricardo Pereira.
 
O clássico de Capote, publicado em 1966, é um dos primeiros exemplos do “romance jornalístico” e das modernas histórias de “crimes reais”. Das páginas do livro para as telonas, a história retrata o assassinato da família Clutter em 1959 por uma dupla de desajustados nômades, Dick Hickock e Perry Smith, que posteriormente são julgados e condenados à morte.
 
O Ciclo de Cinema tem entrada gratuita, com exibição seguida de debate. 
 
Abaixo, a programação de agosto:
 
 
Cineclube Poeira
Curadoria João Antonio Buhrer/Carlos Tavares
Quarta-feira, 2, 19h30
ROSEMBERG, CINEMA, COLAGEM E AFETOS 
Direção: Cavi Borges, Christian Caselli 
Sinopse: Acompanha as criações cinematográficas do cineasta brasileiro Luiz Rosemberg Filho. Um artista que durante décadas tentou mostrar o que de mais puro poderia haver entre a arte, a luz e o vídeo. Brasil, 2017, 70min
 
 
Ciclo Sessão da Tarde
Curadoria Ricardo Pereira e Andreia Reis 
Quinta-feira, 3, 14h
NISE – O CORAÇÃO DA LOUCURA
Direção: Roberto Berliner 
Sinopse: Ao voltar para seu trabalho num hospital psiquiátrico público, depois de um tempo na clandestinidade, a médica Nise da Silveira encontra os pacientes submetidos a tratamentos agressivos. Ela, então, propõe métodos mais humanistas utilizando as artes. Brasil, 2016. Colorido, 108 min.
 
 
Cineclube Poeira
Curadoria João Antonio Buhrer/Carlos Tavares
Sexta-feira, 4, 19h30
O JARDIM DAS ESPUMAS 
Direção: Luiz Rosemberg Filho 
Sinopse: Um planeta extremamente pobre, dominado pela irracionalidade e opressão, recebe a visita de um emissário dos planetas ricos, interessado em acordos econômicos. Antes de se encontrar com o governante, ele é sequestrado pela facção contraditória do sistema, o oposto de tudo aquilo que é dito oficialmente. Dois estudantes são interrogados sobre o seu desaparecimento e mortos, sendo seus corpos, abandonados numa estrada. O emissário, ao tomar contato com a realidade do planeta, descobre que vai fomentar um mito que não deve ser desenvolvido ali. Brasil, 1970, 108min 
 
 
Ciclo Cinema & Literatura
Curadoria Ricardo Pereira
Sábado, 05, 17h
A SANGUE FRIO
Direção: Richard Brooks 
Sinopse: Um fazendeiro do Kansas, sua mulher e seus dois filhos adolescentes são assassinados por dois ex-condenados – Perry Smith e Dick Hickock. Após mais de um ano de fuga, os homens caçados são finalmente presos, julgados e condenados à forca em uma dramática conclusão. Baseado no romance homônimo de Truman Capote. EUA, 1967. Preto e Branco, 134 min.
 
 
SEDA
A VII Semana do Audiovisual Campinas acontece de 05 a 13 de Agosto de 2017
 
 
SEDA NO MIS
05 , sábado, das 19h às 22h 
Atividade: SEDA Gênero – Exibição + Debate do filme “Quem matou Heloá”, seguido de debate + Apresentação de dança “MEIA HORA, de Daniela Bescow.                                                                          
Debate: Violência Contra a Mulher
Sinopse da Dança MEIA HORA:
Uma mulher ouve as notícias do rádio. É 2028 e não há mais violência contra as mulheres no Brasil. Os homens pararam de violentar! As mulheres vitimizadas por estupro, assassinato, aborto precarizado, objetificação e violência visual, violência psicológica e abuso emocional, violência estética e simbólica, violências verbais e humilhações, violência obstétrica, menores salários, triplas jornadas, assédio no local de trabalho, nos transportes, nas ruas. Mulheres vitimizadas por todas as formas de misoginia, não existem mais. As mulheres não são  mais anônimas, sem rosto, sem nome. Não são mais estatística.
Ficha Técnica:
Concepção e execução: Daniela Alvares Beskow
Trilha sonora: Ana Carolina Haddad
Texto: Daniela Alvares Beskow
Fotografia: Alek Lima
Duração: 35 min.
Faixa etária: 14 anos
Com: Ana Carolina Haddad e Aleksandra Lima Rodrigues
 
 
06 , domingo, das 15h às 18h
Atividade: SEDA SOM – Exibição + Debate do filme “Comand Action” + “A menina que dançou com diabo” + “Jabberwocky”
Convidados: Léo Bortoline; Dora Torres; Carol Leão.
Debate: Nesse espaço privilegiaremos o trabalho de som realizado no cinema e a partir desse olhar pensar sobre as sensibilidades diluídas entre as ondas sonoras.
Sinopse da atividade: Os filmes eleitos para essa discussão correspondem a três curtas-metragens. Duas dessas produções (“Command Action” e “A menina que dançou com o diabo”) são fruto do trabalho do coletivo Kino Olho de Rio Claro/SP. Ambos problematizam aspectos da cultura popular na contemporaneidade, revelando, por meio do som, as intensidades desse universo.O outro curta (“Jabberwocky”), de origem Tcheca, nos ambienta, com o som, os conflitos e as paixões políticas dos anos 70.  
 
 
07 , segunda-feira, das 19h às 22h
Atividade: Abertura da “Exposição “Invisíveis Visíveis”” e “Arte Postal- Eu no Mundo” + Lançamento do videoclipe do Coletivo da Música em parceria com o Ponto de Cultura Maluco Beleza: “O Samba e a Ciranda” + Sarau com “Soul Porque Somos” e Mukama             Convidados: Pamela Leoni e Banda Mukama, Coletivo da Música e mais.
Sinopse da atividade: “Invisíveis Visíveis” apresentará as produções artísticas e artesanais dos moradores dos abrigos da Rede de Assistência Social de Campinas para a população adulta em situação de rua. Entendendo as práticas culturais e artísticas como um dos eixos fortalecedores dentro de um novo projeto de vida, o objetivo desse projeto é o de promover o acesso da população de rua a equipamentos públicos de arte e cultura, valorizar suas produções artísticas e possibilitar um espaço de trocas e integração entre os diferentes abrigos. A exposição de arte postal apresentará os cartões postais recebidos através da III Convocatória de Arte Postal com tema “Eu no mundo!”. O objetivo principal desta arte é a troca sem comércio, de forma democrática, com a proposta inicial de não depender de galerias de arte, jurados e exclusividade em arte.
 
 
08 , terça-feira, das 19h às 22h
Atividade: SEDA Cinema e Educação – Exibição + Debate do Filme “A Morte do Cinema”.
Convidados: Carlos Miranda (Rede Kino), Wenceslau (Grupo Olho), Carol Sartomen (Conselho Nacional de Cineclubes) e professores da Rede Municipal de Campinas                 Debate: Audiovisual enquanto ferramenta de educação social. Lei 13.006/2014.
Sinopse da atividade: Os conflitos inerentes ao universo da educação pública brasileira, seus aspectos comuns e díspares nas diferentes regiões do país. A maneira pela qual a produção cinematográfica problematiza essas realidades e como elas potencializam, enquanto ferramenta didática, essas espaços. A proposta dessa atividade é de entender a partir da Lei 13.006/2014 qual cinema nacional vai para as escolas e como?
09 , quarta-feira, das 19h às 22h
Atividade: SEDA Gêneros – Masculinidades – Exibição + Debate do filme “Precisamos Falar Com os Homens” de ONU Mulheres.                   Convidados: Maíra Lana (Mov Homens Libertem-Se)
Debate: Outras práticas de masculinidade na desconstrução do poder, das violências, papéis sociais reducionistas e o patriarcado.
Sinopse da atividade: Historicamente temos papéis sociais definidos e estruturas hegemônicas de relação que dão manutenção as formas de poder, violência e opressão majoritariamente geradas pelos homens nesses papéis. Porém, esses homens também sofrem as violências dessas estruturas e segundo dados de pesquisas internacionais, são os que mais morrem por não cuidarem da sua saúde, os que mais adoecem psiquicamente negando a doença social existente e os que mais se tornam dependentes adictos crônicos pelo uso excessivo de substâncias. A proposta da atividade é entender e mensurar o papel protagonista dos homens na luta pelo resgate aos direitos humanos e por uma sociedade igualitária de fato.
Ciclo Sessão da Tarde
Curadoria Ricardo Pereira e Andreia Reis
Quinta-feira, 10 , 14h
O BALÃO BRANCO
Direção: Jafar Panahi
Sinopse: Razieh (Aida Mohammadkhani) é uma garotinha de 7 anos que insiste que sua mãe lhe compre um outro peixinho dourado para a celebração do ano-novo iraniano. Apesar da família estar sem dinheiro, Razieh acaba conseguindo a quantia para comprar o peixinho com a ajuda de seu irmão. Só que a caminho da loja, ela perde o dinheiro duas vezes, e então os dois irmãos não medem esforços para recuperá-lo, saindo pelas ruas de Teerã. Roteiro de Abbas Kiarostami. Irã, 1995. Colorido, 85 min.
Mostra O Cinema Contemporâneo Latino-americano
Curadoria Cineclube Invert
Sexta-feira, 11 , 19h30
UMA ONDA NO AR
Direção: Helvécio Ratton
Sinopse: Jorge, Brau, Roque e Zequiel são quatro jovens amigos que vivem em uma favela de Belo Horizonte e sonham em criar uma rádio que seja a voz do local onde vivem. Eles conseguem transformar seu sonho em realidade ao criar a Rádio Favela, que logo conquista os moradores locais por dar voz aos excluídos, mesmo operando na ilegalidade. O sucesso da rádio comunitária repercute fora da favela, trazendo também inimigos para o grupo, que acaba enfrentando a repressão policial para a extinção da rádio. Brasil, preto e branco, 2002, 92 min.
Ciclo Cinema e Revolução Russa
Curadoria www.boletim-lanterna.blogspot.com.br
O blog Lanterna: Boletim de Arte Revolucionária, apresenta um ciclo de filmes emblemáticos do cinema soviético dos anos 20. Pensamos que nos 100 anos da Revolução russa, a exibição e o debate estético sobre estes filmes colocam-se como necessidade histórica.
Sábado, 12 , 16h
TEMPESTADE SOBRE A ÁSIA
Direção: Pudovkin
Sinopse: Pudovkin, que dirigiu “Mãe”-1926 e o “Fim de St. Petersburg”-1927, sempre foi colocado no mesmo patamar de Eisenstein, Vertov e Dovzhenko, com justiça. Nesta obra prima, um jovem mongol, filho de um simples caçador nômade, possui um talismã antigo que pertenceu a um padre. Isto, o identifica como descendente direto de Genghis Khan. Quando os inovadores descobrem este fato, começam a fazer um jogo político com ele. Pudovkin, com sua genialidade mostra como uma simples pessoa se transforma num líder revolucionário anti-colonialista. Tido pela crítica mundial como um “poema épico”. URSS, preto e branco, 1928, 125 min
Ciclo Aula de Cinema
Curadoria Gustavo Sousa e Ricardo Pereira
Sábado, 12, 19h30
O TERCEIRO HOMEM
Direção: Carol Reed
Sinopse: Holly Martins (Joseph Cotten) é um escritor americano que acabou de chegar a Viena do pós-guerra a convite de seu velho amigo Harry Lime (Orson Welles). Logo após sua chegada Holly descobre que seu amigo havia morrido em circunstâncias misteriosas. Ele decide investigar o caso e descobre várias inconsistências nas explicações dos amigos de Harry. Inglaterra, 1949. Preto e Branco, 104 min.
Ciclo Clássicos no MIS
Curadoria Ricardo Pereira
Segunda-feira, 14, 19h30
A MONTANHA DOS SETE ABUTRES
Direção: Billy Wilder
Sinopse: Charles Tatum (Kirk Douglas) está entediado com seu trabalho em um pequeno jornal no Novo México, onde não aparecem oportunidades para boas matérias. Quando surge o caso de um homem preso em uma mina, ele transformará a situação em um grande acontecimento, tomando as rédeas do resgate, fazendo o possível para prolongá-lo e fornecendo informações aos grandes jornais. Ele percebe que está criando algo de grande proporção e pretende levar isso adiante, pondo em risco a vida do homem que está preso. A história é inspirada em um fato real, acontecido em 1925. EUA, 1951. Preto e Branco.
Programação Especial
Curadoria Henrique
Quarta-feira, 16, 19h30
PAEBIRU – NAS PAREDES DA PEDRA ENCANTADA
Direção: Leonardo Bomfim e Cristiano Bastos
Sinopse: Documentário que conta a história do álbum musical: Paêbirú: Caminho da Montanha do Sol, de Lula Côrtes e Zé Ramalho). O documentário, que começou a ser produzido em 2009, traz entrevistas com personagens como os músicos Lula Côrtes e Alceu Valença (que toca no disco), o arqueólogo Raul Córdula (que apresentou a Pedra do Ingá a Lula e a Zé Ramalho) e a cineasta Kátia Mesel. As gravações registram muitos momentos musicais espontâneos e até cenas que reforçam as lendas em torno do disco. O filme investiga, não só a riqueza musical de Paêbirú, mas também o imaginário particular do interior da Paraíba e o momento psicodélico dos anos 70 na ponte entre Recife e João Pessoa.  Brasil, 2011. 130 min.
Ciclo Sessão da Tarde
Curadoria Ricardo Pereira e Andreia Reis
Quinta-feira, 17, 14h
O SEGREDO DOS SEUS OLHOS
Direção: Juan Jose Campanella
Sinopse: Após trabalhar a vida toda num Tribunal Penal, Benjamín Espósito se aposenta. Seu tempo livre o permite realizar um sonho longamente postergado: escrever um romance baseado num acontecimento que vivera anos antes. Em 1974, foi encarregado de investigar um violento assassinato. A Argentina entrava num ciclo de extrema violência política e a investigação colocou em risco sua vida. Ao escavar velhos traumas, Benjamín confronta o intenso romance que teve com sua antiga chefe, assim como decisões e equívocos passados. Com o tempo, as memórias terminam por transformar novamente sua vida. Argentina, 2009. Colorido, 127 min.
Ciclo Revisão do Cinema Brasileiro
Curadoria Ricardo Pereira
Sexta-feira, 18, 19h30
RIO ZONA NORTE
Direção: Nelson Pereira dos Santos
Sinopse: O sambista Espírito da Luz Soares, um homem um tanto quanto desiludido, ao viajar num trem de subúrbio, cai nos trilhos.  Enquanto agoniza, repassa sua vida desde o tempo em que cantava em festas de salão, seus sambas, o sofrimento para tentar gravá-los, o assassinato de seu filho, etc. Brasil, 1957. Preto e Branco.
Programação Especial
Curadoria Associação ECCOS – Educação,Cultura,Cidadania,Oportunidades e Solidariedade
Sábado, 19, 17h
O COMEÇO DA VIDA
Direção: Estela Renner
Sinopse: Uma análise aprofundada e um retrato apaixonado sobre os primeiros mil dias de um recém-nascido, o verdadeiro começo da vida de um ser humano, tempo considerado crucial pós-nascimento para o desenvolvimento saudável da criança, tanto na infância quanto na vida adulta, onde os pais precisam ter o maior cuidado, amor e carinho possível. O filme mostra que um dos maiores avanços da neurociência é a descoberta de que os bebês são muito mais do que uma carga genética. Todo o ser humano, durante seu desenvolvimento, combina a genética com a qualidade das relações que desenvolvemos e do ambiente em que estamos inseridos. Brasil, 2016, 97min
Ciclo Diversidade Sexual
Curadoria Cineclube Purpurina
Sábado, 19 , 17h
A CONSTITUIÇÃO
Direção: Rajko Grlić
Sinopse: Quatro personagens vivem no mesmo prédio: o professor homossexual Vjeko e seu pai acamado, ex-coronel do exército croata; a enfermeiro Maja e seu esposo Ante, policial de origem sérvia. Quando Vjeko é atacado por neonazistas encontra em Maja suporte no auxílio do pai e uma confidente. Por outro lado, Maja visualiza uma possibilidade de Ante ter aulas para auxilia-lo passar numa prova da qual esta em risco seu emprego. Assim suas vidas se entrelaçam e lentamente eles começam a se abrir uns aos outros num processo que desafia suas crenças e preconceitos. Croácia, 2016, 93min
Ciclo Aula de Cinema
Curadoria Gustavo Sousa e Ricardo Pereira
Sábado, 19 , 19h30
O ANO PASSADO EM MARIENBAD
Direção: Alain Resnais
Sinopse: Na história, três personagens principais: o Narrador; a Mulher, por quem o Narrador é obcecado; e o Estranho, com quem a Mulher foi para o hotel. O Narrador fala repetidamente para a Mulher que eles passaram o ano anterior juntos e implora que ela parta com ele. A Mulher se mantém dizendo que desconhece o que ele está falando, mas seu comportamento demonstra o contrário. Enquanto isso, a presença do Estranho complica a vida da Mulher e do Narrador. O lançamento do filme em Cannes causou furor na imprensa e na crítica mundial. França, 1961. Preto e Branco, 94 min.
Ciclo CineMulher
Curadoria Promotoras legais populares
Segunda-feira, 21, 19h30
AMOR MALDITO
Direção: Adélia Sampaio
Sinopse: Primeiro longa brasileiro dirigido por uma mulher negra, Amor maldito narra a história trágica de amor entre duas mulheres, Fernanda, uma executiva, e Sueli, uma ex-miss, filha de uma família evangélica e opressora, que comete suicídio. Tornada réu pela morte da ex-companheira, Fernanda é julgada por uma corte preconceituosa e cruel. Filme considerado como o primeiro de temática inteiramente lésbica e pouco visto. Brasil, 1984, 76 min
Programação Especial
Curadoria Augusto Buonicore
Quarta-feira, 23, 19h
SACCO E VANZETTI
Direção: Giuliano Montaldo
Sinopse: O julgamento deles deixou de ser algo baseado na justiça, mas sim na política, pois deviam ser condenados por serem estrangeiros e seguirem uma doutrina política que se opunha ao conservadorismo, que detinha as rédeas do poder nos Estados Unidos..Vanzetti, no tribunal, diz: “estou aqui sendo julgado pela luta contra a exploração do homem pelo homem. O filme foi lançado em 1971, mas só foi exibido no Brasil em 1980 devido à censura militar. Premiação: O ator Riccardo Cucciolla, que interpretou Sacco, recebeu o prêmio de melhor ator em Cannes, 1971.Trilha musical famosa de Ennio Morricone, embora o ponto alto seja a canção tema cantada por Joan Baez. França, Itália, 1971, 121 min.
Ciclo Sessão da Tarde
Curadoria Ricardo Pereira e Andreia Reis
Quinta-feira, 24, 14h
A CONQUISTA DA HONRA
Direção: Clint Eastwood
Sinopse: Fevereiro de 1945. Apesar da vitória anunciada dos aliados na Europa, a guerra no Pacífico prosseguia. Uma das mais importantes e sangrentas batalhas foi a pela posse da ilha de Iwo Jima, que gerou uma imagem-símbolo da guerra: cinco fuzileiros e um integrante do corpo médico da Marinha erguendo a bandeira dos Estados Unidos no monte Suribachi. Alguns destes homens morreram logo após este momento, sem jamais saber que foram imortalizados. Os demais permaneceram na frente de batalha com seus companheiros, que lutavam e morriam sem qualquer ostentação ou glória. EUA, 2006. Colorido.
Ciclo Diversidade Cultural – outras linguagens; outros olhares
Curadoria Adriano de Jesus
Sexta-feira, 25, 19h30
ABOUNA NOSSO PAI
Direção: Mahamat Saleh Haroun
Sinopse: Cidade de N´Djamena, hoje. Tahir e Amine, 15 e 8 anos respectivamente, acordam uma manhã e descobrem que seu pai deixou o lar. Chocados com o repentino desaparecimento, os dois começam a vagabundear pela cidade, esquecendo a escola e freqüentando salas de cinema. Numa delas, um dia, eles reconhecem na tela um homem que pode ser seu pai. Para tentar ver novamente o tão sonhado rosto paterno, eles roubam as latas de filme, mas logo a polícia consegue achá-los. A mãe, não suportando mais os modos dos dois, decide inscrevê-los numa distante escola muçulmana. Exibido na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes de 2002. Chade/França, 2002. 84 min
Sábado, 26, 17h
O ORADOR
Direção: Tusi Tamasese
Sinopse: Um curioso retrato da cultura samoana, o filme conta a história do agricultor Saili. Ele e sua família procuram viver de modo reservado e por isso evitam o contato com outras pessoas da vila. Porém, diversos acontecimentos o obrigarão a assumir seu papel de líder. Quando uma tragédia se abate sobre sua família, Saili deve superar suas dificuldades físicas e sociais e impor-se, rompendo sua invisibilidade social e conquistando o respeito de sua comunidade. Samoa, 2012, 110 min
Ciclo Aula de Cinema
Curadoria Gustavo Sousa e Ricardo Pereira
Sábado, 26, 19h30
VIVER
Direção: Akira Kurosawa
Sinopse: Chefe de seção de Assuntos Municipais, o Sr. Watanabe é exemplar na sua capacidade de se apresentar ao serviço sem uma única falta em 30 anos e encaixar-se à cabeceira da mesa da repartição, a carimbar papéis que vão juntar-se aos que, arranjados em lotes e etiquetados, transbordam das estantes e invadem o espaço de ação dos funcionários, numa aparente vitória. Tomando essa imparável circulação de papéis como um organismo mais vivo do que as pessoas que ali trabalham, facilmente entenderemos o sr. Watanabe como um morto-vivo. A história começa realmente quando o próprio sr. Watanabe toma consciência dessa condição, após um exame médico: a condenação a uns meses de vida mostra-lhe simultaneamente a vida no fim e a consciência de que ainda não tinha começado a vivê-la. Começa então uma febril procura por algo realmente significativo que possa ainda fazer. Japao, 1952. Preto e Branco, 142 min.
Cineclube Poeira
Curadoria João Antonio Buhrer/Carlos Tavares
Segunda-feira, 28, 19h30
A$SUNTINA DAS AMÉRIKAS
Direção: Luiz Rosemberg Filho.
Sinopse: Uma prostituta, no período de 24 horas, acorda, briga com a mãe, anarquiza o filho, namora Papai Noel, um Urso Azul e duas amiguinhas e por fim se encontra com o velho amante milionário. Brasil, 1976, 97min
Quarta-feira, 30, 19h30
CRÔNICA DE UM INDUSTRIAL
Direção: Luiz Rosemberg Filho
Sinopse: Um empresário bem sucedido, de esquerda quando jovem, continua um nacionalista convicto. Entra em crise, quando pressionado pelos interesses do capital estrangeiro e pelos operários, e procura compensar no sexo seu vazio existencial. A esposa se mata, a amante o abandona. Sentindo-se culpado por ter traído seus ideais de juventude, suicida-se. Brasil, 1978, 87 min.
                                                 
Ciclo Sessão da Tarde
Curadoria Ricardo Pereira e Andreia Reis
Quinta-feira, 31, 14h
CARTAS DE IWO JIMA
Direção: Clint Eastwood
Sinopse: Junho de 1944. Tadamichi Kuribayashi (Ken Watanabe), o tenente-general do exército imperial japonês, chega na ilha deIwo Jima. Muito respeitado por ser um hábil estrategista, Kuribayashi estudara nos Estados Unidos, onde fizera grandes amigos e conhecia o exército ocidental e sua capacidade tecnológica. EUA, 2006. Colorido.
Ciclo Mensal Catavento
Curadoria Cineclube Catavento
Quinta-feira, 31, 19h30
EU SOU A PRÓXIMA
Realização: Coletiva Luana Barbosa
Sinopse: Foi construído com relatos de mulheres lésbicas, principalmente negras, sobre as violências sofridas e direitos apagados. O documentário será apresentado em memória de Luana Barbosa, mulher negra lésbica e periférica assassinada exatamente um ano antes por policiais militares .O caso de Luana foi arquivado pelo Ministério Público. Você pode conferir mais informações sobre o caso nessa reportagem da Ponte, e nessa reportagem do Alma Preta. Documentário – São Paulo (2017).
Serviço:
Museu da Imagem e do Som – Campinas
Palácio dos Azulejos
Rua: Regente Feijó, 859 – (19) 3733-8800
Programação sujeita a alterações
Entrada gratuita
Previous post

Sistema Cantareira tem em julho maior queda de nível desde o fim da crise hídrica

Next post

Mostra “Bosque dos Jequitibás – Mais de um século de história” abre na 4ª

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *