Home»Cultura»Nino Rota tem sua obra para violoncelo interpretada nos concertos da Sinfônica de Campinas

Nino Rota tem sua obra para violoncelo interpretada nos concertos da Sinfônica de Campinas

0
Shares
Pinterest Google+

Apresentações acontecem sábado e domingo, no Teatro Castro Mendes; haverá food trucks na praça em frente ao local

Na regência, o maestro convidado Marcelo Ramos
Na regência, o maestro convidado Marcelo Ramos

Considerado um dos mestres brasileiros do violoncelo, o músico Antonio Lauro Del Claro participa como solista dos concertos da Orquestra Sinfônica de Campinas, neste final de semana, no Teatro Castro Mendes. Na regência, o maestro convidado Marcelo Ramos.

O repertório traz obras de períodos distintos e diferentes na sua linguagem. A primeira peça é de Alexandre Levy (“Andante para cordas”) – autor que teve uma relação especial com Campinas: era filho de Henrique Luiz Levy, clarinetista amador e vendedor de joias que passou um bom tempo hospedado na casa de Carlos Gomes, na atual Rua Regente Feijó; segue com Nino Rota (“Concerto para violoncelo nº 1”) – bastante conhecido por sua atuação no cinema desde a década de 1950, realizando inúmeras trilhas sonoras inesquecíveis para diretores como Federico Fellini, Luchino Visconti, Mario Monicelli, Franco Zefirelli, Francis Ford Coppola, entre outros. Para finalizar, a Sinfônica interpreta a “Sinfonia nº 2”, de Robert Schumann – um dos mais expressivos nomes do Romantismo.

Para combinar boa música à gastronomia, os concertos terão a presença de food trucks na praça localizada em frente ao Teatro Castro Mendes.

O músico  Antonio Lauro Del Claro participa como solista dos concertos da Orquestra Sinfônica de Campinas
O músico Antonio Lauro Del Claro participa como solista dos concertos da Orquestra Sinfônica de Campinas

O solista

O paulistano Antonio Lauro Del Claro desde muito cedo conviveu com a música, pois vários membros de sua família foram e são instrumentistas. Aos sete anos iniciou os estudos com seu pai, também violoncelista. Mais tarde, ainda no Brasil, prosseguiu os estudos com Jean Jacques Pagnot. Na Itália foi aluno de Radu Aldulescu (violoncelo) e Enrico Mainardi (música de câmara). Com uma bolsa concedida pelo Governo do Estado de São Paulo, estudou em Paris com Roberto Salles, mas foi em Genebra (Suíça) que teve oportunidade de aperfeiçoar-se, tornando-se discípulo do consagrado violoncelista Pierre Fournier. Como solista atua junto às maiores orquestras brasileiras, nos importantes centros culturais do país. Foi solista convidado da Orquestra de Câmara de Moscou, quando em tournée pelo Brasil. Tem atuado também na França, Suíça, Itália, América Latina , México e Estados Unidos. A grande preocupação em divulgar a música brasileira o fez gravar vários discos de compositores como Camargo Guarnieri, Henrique Oswald, Villa Lobos, Radamés Gnatali e Guerra Peixe, tendo também apresentado em primeira audição mundial obras para violoncelo que lhe foram dedicadas pelos compositores Camargo Guarnieri, Osvaldo Lacerda, Claudio Santoro,Almeida Prado e Sérgio Vasconcelos Corrêa. Gravou o CD “Tributo a Guerra Peixe”,juntamente com José Staneck – Gaita e Flavio Augusto – Piano E o DVD “ Contraponto 2 “com obras de Aloísio Didier, juntamente com a pianista Maria Tereza Madeira. Durante o ano de 2016 fará uma turnê brasileira com obras para violoncelo solo – “Cello em solo brasileiro” – composto somente por obras de compositores brasileiros, a maior parte em primeira audição mundial e novas dedicatórias de Aleh Ferreira e Paulo Costa Lima.

O regente

Marcelo Ramos é maestro titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Graduou-se mestre em regência orquestral pelo Cleveland Institute of Music (EUA), onde estudou sob orientação de Carl Topilow em 2010. Está terminando o doutorado em artes e regência orquestral na Ball State University (Indiana).

O tema de sua dissertação é a Sinfonia No. 2 ‘Brasília’ de Guerra-Peixe: análise e edição de performance, e conta com bolsa integral da CAPES. Durante o período de mestrado, Marcelo foi também maestro assistente da Cleveland Pops Orchestra além de participar de masterclasses com Michael Tilson Thomas (San Francisco Symphony), Kenneth Kiesler (University of Michigan), Kurt Masur, David Loebel, Ronald Zollman (Croácia) e Alexander Polistchuk (São Petesburgo).

No Brasil, estudou regência com Eleazar de Carvalho e Dante Anzolini. Participou recentemente de dois importantes workshops como regente ativo nos EUA: com a Sinfônica de Baltimore tendo Marin Alsop e Gustav Meier como instrutores em 2012, e no Aspen Music Festival em 2010, com mestres como Robert Spano (Atlanta Symphony), Larry Rachleff (Long Island Symphony), Hans Graf (Houston Symphony) e Hugh Wolff (New England Conservatoire, Boston). Sua carreira vem sendo desenvolvida seguindo um caminho que começou dentro da própria orquestra como violoncelista (OSESP – 1994 a 1999), passando por regente assistente na Orquestra do Teatro Nacional Claudio Santoro (1999-2001), regente residente da Amazonas Filarmônica em Manaus (2001-2003).

Programa

ALEXANDRE LEVY (1864 -1892)

Andante para Cordas, Op. 22

NINO ROTA (1911-1979)

ROBERT SCHUMANN (1810 -1856)

Sinfonia N° 2 em Dó Maior, Op. 61

Serviço

Orquestra Sinfônica de Campinas

ANTONIO DEL CLARO, Violoncelo

MARCELO RAMOS, Regente

Quando: sábado (27 de agosto), 20h; domingo (28 de agosto), 11h

Local: Teatro Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/n. Vila Industrial. Campinas). Telefone (19) 3272.9359.

Ingressos: R$30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados), R$ 10,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências); R$ 5,00 (estudantes das redes municipal e estadual).

Previous post

Propaganda eleitoral começa hoje no rádio e na TV

Next post

Trajetória romântica de D. Pedro I é revista em espetáculo no Teatro Castro Mendes, dias 30 e 31

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *