Home»Geral»Cantareira fecha março com chuva acima da média

Cantareira fecha março com chuva acima da média

0
Shares
Pinterest Google+

Sistema não registrou queda de nível ao longo do mês.

Sistema Rio Claro também registrou alta nesta quinta.

Represa do Rio Atibainha, em Nazaré Paulista - Foto Renato César Pereira
Represa do Rio Atibainha, em Nazaré Paulista – Foto Renato César Pereira

O nível de água do Sistema Cantareira registrou nova alta nesta quinta-feira (31) e opera com 65,4% da sua capacidade, segundo dados divulgados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Na quarta-feira (30), o manancial operava com 65,2%.

O sistema fecha o mês de março com uma chuva acumulada de 179,6 mm, o equivalente a 0,89% acima do esperado para todo o mês, que era 178 mm. O nível de água subiu nos 31 dias.

Contudo, março de 2015 segue como o março mais chuvoso desde 2008. Os reservatórios do manancial, que abastece 5,7 milhões de pessoas na Grande São Paulo receberam 206,5 mm de chuva naquele mês.

Em 30 de dezembro de 2015, o Sistema Cantareira deixou a dependência do volume morto após 19 meses.

O Sistema Rio Claro também registrou alta nesta quinta. O Alto Cotia se manteve estável em relação a terça, e os demais sistemas que abastecem a Grande São Paulo perderam água. Veja o nível de todos os sistemas:

– Cantareira: 65,4% da capacidade

– Alto Tietê: 43,2% da capacidade

– Guarapiranga: 87,6% da capacidade

– Alto Cotia: 100,2% da capacidade

– Rio Grande: 96,6% da capacidade

– Rio Claro: 102,6% da capacidade

Índices

Após uma ação do Ministério Público (MP), aceita pela Justiça, a Sabesp passou a divulgar outros dois índices do Cantareira. Nesta quinta, o segundo estava em 50,6% e considera o volume armazenado na capacidade total, incluída a área do volume morto. O terceiro índice leva em consideração o volume armazenado menos o volume morto na área total dos reservatórios e estava em 36,1% nesta manhã.

O Cantareira chegou a atender 9 milhões de pessoas só na Região Metropolitana de São Paulo, mas atualmente abastece 5,7 milhões por causa da crise hídrica que atingiu o estado em 2014. Os sistemas Guarapiranga e o Alto Tietê absorveram parte dos clientes, para aliviar a sobrecarga do Cantareira durante o período de estiagem.

Com informações do G1

Previous post

Sinfônica lembra Miguel de Cervantes em concerto no Castro Mendes

Next post

STF mantém decisão de Teori que tirou de Sérgio Moro investigações sobre Lula

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *