Home»Geral»Consumo de energia cresce até 10% no Verão

Consumo de energia cresce até 10% no Verão

0
Shares
Pinterest Google+

Confira dicas para ir na contramão desta tendência, que é observada pela CPFL Paulista nos últimos anos

A geladeira é um dos grandes responsáveis pelo gasto energético de uma residência, representando de 25% a 35% na conta - Foto: Divulgação
A geladeira é um dos grandes responsáveis pelo gasto energético de uma residência, representando de 25% a 35% na conta – Foto: Divulgação

O calor no Verão vem acompanhado de um crescimento de cerca de 10% no consumo de energia elétrica, ocorrido por conta do uso de ventiladores, ar-condicionado, além de banhos mais numerosos e demorados. Para ir na contramão desta tendência, observada pela CPFL Paulista nos últimos anos, podem ser tomadas algumas medidas simples e eficazes, que ajudam o bolso e o meio ambiente.

Evitar o uso de eletrodomésticos no horário de pico, entre 18h e 21h, é uma medida interessante, já que neste período de tempo o consumo de energia elétrica é muito mais alto por conta da sobrecarga na demanda.

A geladeira é um dos grandes responsáveis pelo gasto energético de uma residência, representando de 25% a 35% na conta. Para diminuir o consumo deste eletrodoméstico é importante verificar se as condições da borracha de vedação. É importante que a geladeira esteja hermeticamente fechada para evitar a entrada e saída de ar, que fazem com que seu motor precise trabalhar mais para refrigerá-la. O local onde ela está instalada também influencia no gasto de energia, já que quanto mais quente for o ambiente, mais energia precisará ser gasta para resfriá-la. Assim, colocá-la próxima de fogões ou em áreas com muita incidência de sol pode não ser uma boa ideia. Ainda com relação à eficiência da geladeira, é importante evitar colocar panelas e pratos muito quentes, bem como usar a parte traseira para secar roupas.

Outro campeão em consumo de energia na casa é o chuveiro, que geralmente é usado justamente no horário de pico. Mudá-lo para a posição “verão” diminui o gasto energético em até 30%. Quando possível, é interessante optar por uma ducha fria, que refresca e é mais econômica. Os consumidores devem se atentar também à limpeza frequente dos orifícios de saída de água, já que o entupimento destes vai demandar um gasto maior de energia, gerando também um maior aquecimento.

A troca das lâmpadas incandescentes e fluorescentes por LED é um investimento a médio prazo que diminui significativamente o consumo de energia em uma residência. Apesar de mais caras, as lâmpadas com tecnologia LED aquecem menos e, consequentemente, gastam menos eletricidade, além de terem uma vida útil maior do que os outros tipos. O engenheiro responsável pela CPFL na região, Manoel Pinheiro, destacou que medidas simples podem fazer toda a diferença. “A energia vem de uma matriz hidroelétrica, ou seja, da água, um bem da natureza. Quando você tem consciência de consumir menos, além de ajudar no bolso, você está pensando no meio ambiente também”.

Com informações do Jornal O Liberal

Previous post

Barão Geraldo recebe mutirão contra a dengue neste sábado, 23

Next post

Aneel aprova valores de bandeiras tarifárias e cria mais um nível para vermelha

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *