Home»RMC»Consórcio PCJ recomenda instalar reservatórios

Consórcio PCJ recomenda instalar reservatórios

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Apesar das chuvas que vem atingindo a região, órgão alerta para a necessidade de armazenamento de água para o período de estiagem

Represa Salto Grande, em Americana-SP
Represa Salto Grande, em Americana-SP

Apesar das chuvas intensas que estão ocorrendo desde o final do ano passado, o Consórcio PCJ alerta para a necessidade de construção de reservatórios para o armazenamento durante os períodos de estiagem. A recomendação da entidade é pela instalação de bacias de retenção e piscinões para a preservação do Sistema Cantareira.

O Consórcio avaliou como prematuro o pedido da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) ao Departamento de Águas e Energia Elétrica e à Agência Nacional de Águas para aumentar em mais 30% a retirada de água do Sistema Cantareira. Com isso, o volume sairia dos atuais 15 metros cúbicos por segundo para 19,5. O consórcio acredita que a ação mais indicada neste momento é a preservação do Cantareira enquanto são tomadas medidas para armazenar águas pluviais e que ainda é cedo para aumentar as vazões, devido às incertezas climatológicas para 2016. A entidade lembrou que o aumento de chuvas está relacionado ao fenômeno El Niño, sendo que os efeitos devem ser sentidos, de acordo com estudos meteorológicos, até março deste ano.

Entre as medidas que podem ser tomadas pelo poder público e iniciativas privadas para ampliar a capacidade de armazenamento está a construção de bacias de retenção em estradas vicinais, que consistem em escavações de reservatórios para a chuva, recarregando o lençol freático e evitando problemas de drenagem e erosão do solo.

Para o secretário-executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz, muitas medidas poderiam ter sido tomadas para ampliar a possibilidade de reservas da água proveniente das fortes chuvas, como o desassoreamento de dispositivos de armazenamento e o término de reservatórios, como o Sistema São Lourenço, para a capital, e em Amparo, Pedreira e Salto. “Comemorar a água que está indo embora pelos nossos rios é quase certeza de prejuízo futuro”, criticou.

Com informações do Jornal O Liberal

Post Anterior

Com queda de carteira assinada, aumenta trabalho doméstico e por conta própria

Próximo Post

Segunda fase do vestibular da Unicamp começou hoje com mais de 15 mil candidatos

1 Comentário

  1. setembro 27, 2016 at 9:00 am — Responder

    O Consorcio PCJ tem orientado aos municipios a implantarem o maximo de bacias de retencao possivel ainda neste ano para que com a vinda da epoca de chuvas, elas possam armazenar agua para atravessarmos a estiagem de 2016.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *