Home»Campinas»245 mil moradores sem saneamento básico

245 mil moradores sem saneamento básico

0
Shares
Pinterest Google+

Segundo o Instituto Trata Brasil, a falta de saneamento básico causa doenças de veiculação hídrica, além da poluição de mananciais e desperdício de água por conta das tubulações clandestinas

Córrego Piçarrão, na Vila Industrial, em Campinas-SP
Córrego Piçarrão, na Vila Industrial, em Campinas-SP

 

Campinas tem 245 mil moradores de bairros originários de ocupações ou assentamentos que ainda não estão com o sistema de água e esgoto completamente regularizado, aponta um estudo do Instituto Trata Brasil. Segundo a pesquisa, a falta de saneamento básico causa doenças de veiculação hídrica, além da poluição de mananciais e desperdício de água por conta das tubulações clandestinas.

Ao todo, Campinas tem aproximadamente 1,1 milhão de habitantes, e 21% moram nas 245 áreas irregulares do município, de acordo com a pesquisa denominada Saneamento em Áreas Irregulares no Estado de São Paulo.

O pesquisador Alceu Galvão, coordenador do estudo, explicou que o risco à saúde é iminente nas áreas irregulares. “Os riscos são diversos. Se ele não tem uma água segura, tratada nos padrões de qualidade, ele vai ter de buscar água em poço, o que pode ocasionar doenças”.

Galvão informou, ainda, que a pesquisa apontou que a falta de saneamento resulta na poluição de rios. “O descarte sem tratamento do esgoto nos rios é outro problema”, disse.

O estudo abrangeu as 13 cidades mais populosas do Estado e, no caso de Campinas, utilizou de informações passadas pela Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento). Além disso, o pesquisador informou que parte dos moradores também foi ouvida.

Fossa cheia

O operador de pá carregadeira Sergio Aparecido dos Reis, 51, é morador do bairro Satélite Íris 1 e relata que tem de conviver com o cheiro e a dificuldade de manutenção das fossas. “Aqui não tem rede esgoto, então, quando a fossa enche, temos que chamar a prefeitura para fazer a limpeza”. Segundo ele, é comum presenciar água suja descendo pelas ruas por conta das fossas cheias.

Com informações do Jornal Tododia

Previous post

MIS inicia exibição dos “Melhores Filmes do Ano” nesta quinta-feira

Next post

Secretaria de Trabalho e Renda estuda reativação da cooperativa de reciclados em Barão Geraldo

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *