Home»Campinas»Sanasa diz que elevou tarifa de água porque há menos consumo

Sanasa diz que elevou tarifa de água porque há menos consumo

0
Shares
Pinterest Google+

3a-454515

Por André Rossi

O presidente da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento) de Campinas, Arly de Lara Romêo, afirmou que o fato de a população estar usando menos água foi um dos motivos para o segundo aumento da tarifa neste ano. A declaração foi levada ao ar ontem pelo programa Bom Dia Brasil, da Rede Globo.

“Houve uma redução do consumo, e consequentemente resultou no faturamento da empresa. É a necessidade da empresa manter-se cumprindo com seus compromissos e seus investimentos”, disse o presidente no entrevista à TV.

Desde o início da crise hídrica, a Sanasa tem apelado ao consumidor para que economize água.

O fato de a economia ter sido usada como justificativa justamente para um novo aumento revoltou moradores (leia abaixo).

Em 2015 foram aplicados dois aumentos. O primeiro, em fevereiro, foi de 11,98%. Neste mês, a Ares-PCJ (Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), autorizou a Sanasa a aplicar um novo reajuste de 15%, que começará a valer em agosto.

Questionado pelo TODODIA sobre a afirmação à TV, Lara citou outros fatores para justificar os reajustes.

“Eu respondo pelo o que eu falei, não pelo o que falaram que eu falei. O que eu disse é que há um conjunto de coisas para isso (reajuste). Aumentou energia elétrica, aumentou a despesa com produtos de tratamento, e a empresa precisa cumprir com seus compromissos”, disse.

Para o economista e consultor financeiro Carlos Augusto Machado da Motta, a Sanasa optou pelo caminho mais fácil para regularizar as contas. Ele aponta outros meios que poderiam ser utilizados.

“Para adequar as metas da empresa, eles decidiram aumentar a tarifa. Ao invés disso, eles deveriam ter buscado formas de reduzir custos operacionais, e não fazer o consumidor pagar a mais por algo que ele está economizando”, afirmou.

11752516_993135107387694_2050695717765843249_n

Morador pede suspensão de reajustes ao MPE

O químico e biólogo Renato César Pereira, 55, protocolou ontem no MPE (Ministério Público Estadual) uma representação pedindo a suspensão dos aumentos na tarifa d’água da cidade.

“É muita coisa para a população pagar. Nós fizemos a nossa parte, economizamos água, e agora eles querem dizer que isso é a causa do reajuste. É um absurdo. Não podemos aceitar que eles imponham esse tipo de coisa goela abaixo”, disse Pereira.

O morador também questiona os gastos com comissionados e publicidade da Sanasa. “Eles mostraram que tiveram prejuízo no balanço de 2014, mas ficam gastando um monte com comissionados e publicidade. A população não pode pagar por erros como esse”, argumenta.

GASTOS QUESTIONADOS

O balanço da Sanasa de 2014 apontou prejuízo de R$ 18,7 milhões e também mostrou que a empresa desembolsou R$ 5,6 milhões com publicidade naquele ano, representando um aumento superior a 3.000% em relação ao mesmo período de 2013, quando a despesa foi de R$ 172,1 mil.

O número de comissionados da Prefeitura de Campinas, tanto da administração direta quanto indireta, é alvo de uma ação impetrada pelo MPE na Justiça, que pede a cassação de Jonas Donizette (PSB). Na ação, é citado o caso do comissionado da Sanasa, Alaor Viola, cedido à prefeitura, que faltou durante três dias no serviço para ir ao Rio de Janeiro, alegando que sua sobrinha que mora na cidade, adulta e casada, “passou mal”, e por isso ele viajou para ajudá-la.

O MPE também investiga possíveis irregularidades na realização de uma festa de 40 anos do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti em outubro de 2014 para políticos, autoridades e funcionários.

O maior patrocinador do evento foi a Sanasa, que desembolsou uma verba de R$ 32,9 mil.

Jornal Tododia

Previous post

Portal do Cidadão reúne todos os serviços on-line em um mesmo local

Next post

Moradores de Sumaré (SP) afrouxam economia de água após alta na tarifa básica

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *