Home»Campinas»Contra a dengue, Exército já visitou mais de 980 imóveis em Campinas

Contra a dengue, Exército já visitou mais de 980 imóveis em Campinas

0
Shares
Pinterest Google+

d52a237e943120234450a89c53d08ff0

Mais de 980 imóveis visitados do dia 31 de março até o final da semana passada e cerca de 360 caixas d’água teladas somente na região Sudoeste de Campinas. Este é o resultado, até o momento, da ação dos 48 cadetes do Exército que estão atuando em conjunto com as equipes de Vigilância em Saúde para combater o mosquito da dengue. E, no decorrer desta semana, os trabalhos continuam em todas as regiões do município com remoção de criadouros e mobilização social.

Na região Leste, nesta segunda-feira, 27, está sendo realizadas ações em parceria com a Sanasa para retirada de criadouros presentes nas hortas do bairro Santa Genebra. Além disso, equipe da Vigilância em Saúde Leste está promovendo ações educativas sobre dengue na Semana do Trabalhador, na Praça José Bonifácio, Centro. Há trabalho de remoção de criadouro no Bairro Jardim Alvorada, na área de abrangência do CS Capivari, na região Sudoeste e no Campo Belo (Sul).

Na Noroeste, nesta segunda e terça-feira, 27 e 28 de abril, as equipes fazem visitas às casas e orientações aos moradores no Jardim Nova Esperança. A mesma orientação de casa em casa acontece nesta segunda na Vila Francisca, região Norte. Além da visita, os agentes preparam os moradores para a operação de remoção de criadouros que será realizada na terça-feira no bairro.

Haverá continuidade no trabalho de colocação de tela nas caixas d’água do CDHU da área de abrangência do Centro de Saúde do Cássio Raposo (Norte), iniciado na última semana.

Também na terça-feira, haverá nebulização em uma área do Chapadão (Leste) em parceria com a Sucen.

Na quarta-feira, 29, haverá operação de remoção de criadouros (cata-treco) no Jardim Ipaussurama (Noroeste). Haverá ação de nebulização em parte da Vila Brandina, na região Leste. Na região Sul, o trabalho será em imóveis de risco já cadastrados, com remoção de criadouros.

Na quinta-feira, 30, os agentes se dedicam a atender denúncias recebidas através do canal 156 e a pontos estratégicos (locais de grande circulação, como shoppings e escolas) e imóveis especiais (ferros-velhos, acumuladores) na Noroeste. A mesma ação se repete em todas as Vigilâncias, em dias alternados. Na região Norte, haverá continuidade no trabalho de remoção de criadouro na Vila Francisca. O Vila Rica e o Esmeraldina (Sul) recebem nebulização.

O exército continua o trabalho de colocação de tela em caixas d’água no Parque Dom Pedro, área de abrangência do CS DIC I (Sudoeste) na terça, quarta e quinta-feira pela manhã. À tarde, as equipes fazem visitas a imóveis especiais e denúncias de 156.

No sábado, haverá nebulização no Centro de Saúde Jardim Aurélia e nas escolas da área de abrangência do CS.

Para o médico epidemiologista e coordenador do Programa de Controle da Dengue e Chikungunya, André Ribas Freitas, a medida mais eficaz no combate à dengue é a eliminação dos objetos que acumulam água, que podem servir de criadouros para o mosquito transmissor. “A nebulização não é uma ‘ação milagrosa’ e, se as pessoas repuserem os criadouros, o mosquito volta a se proliferar em uma semana nestas áreas. Por isso, a ajuda da população é imprescindível no enfrentamento da dengue”, explica Freitas.

Balanço

420 mil toneladas de entulhos foram removidas desde 2013 pela Secretaria de Serviços Públicos;

22 mil caixas d’água foram teladas desde 2013;

3 toneladas de criadouros (potes, latas, garrafas, etc) são removidas diariamente pelas equipes de saúde;

740 proprietários foram intimados a fazer a limpeza de seus terrenos em 2015;

2.791 foram notificados a manter suas calçadas em ordem, desde 2013;

200 mil imóveis foram visitados pelas equipes de saúde desde 2014 para remoção de criadouros e para ações de educação e mobilização social;

42 mil imóveis foram nebulizados em 2015;

900 prédios públicos, entre escolas, centros de saúde e outros estão sendo vistoriados pela Sanasa para manutenção e telamento de caixas d’água;

52 mil alunos receberam revistas educativas com informações sobre dengue.

Previous post

STF confirma que órgãos públicos devem divulgar nomes e salários de servidores

Next post

Número de mortes por dengue sobe 560% este ano no estado de São Paulo

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *