Home»Distritos Campineiros»Dengue avança em Barão Geraldo

Dengue avança em Barão Geraldo

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Dengue aumenta no distrito de 55 para 67 casos confirmados. Casos suspeitos vão de 112 para 177 em uma semana.

A Cidade Universitária (I e II) registrou 17 casos, o centro do distrito e a Santa Isabel registraram 5 caos cada. Foto: Renato César Pereira
A Cidade Universitária (I e II) registrou 6 casos, o centro do distrito e a Santa Isabel registraram 6 caos cada. Foto: Renato César Pereira

O Centro de Saúde de Barão Geraldo faz a atualização semanal dos casos de dengue no distrito. Nesta sexta-feira, 6, estão registrados 177 casos suspeitos – com taxa de positividade de 36,16% – e 67 casos confirmados de dengue no distrito para os primeiros 64 dias de 2015.

A Secretaria de Saúde de Campinas informou, na tarde desta quarta-feira, 4 de março, que foram confirmados 614 casos de dengue na cidade em janeiro e 274 em fevereiro. O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) tem, ainda, 873 casos em investigação – que aguardam resultados de exames laboratoriais para a confirmação ou descarte – com início de sintomas em janeiro e 2.422 casos em investigação referentes a fevereiro. Não há registros de morte. O município não tem casos notificados de chikungunya.
A Unicamp e os bairros do entorno – Cidade Universitária (I e II) e Parque das Universidades – somam 36 casos, o centro do distrito e a Santa Isabel registraram 6 casos cada.

Os casos confirmados foram mapeados e os bairros correspondentes são os seguintes:

Cidade Universitária II: 22 casos (eram 17 casos semana passada)
Santa Isabel: 8 casos (eram 6 casos semana passada)
Centro: 6 casos
Vila Ninoca: 6 casos (eram 4 casos semana passada)
Parque das Universidades: 7 casos (eram 6 casos semana passada)
Unicamp: 3 casos
Guará: 2 casos
Cidade Universitária I: 4 casos (eram 3 casos semana passada)
Jardim América: 2 casos
Parque Ceasa: 1 caso
Real Parque: 1 caso
Terra Nova: 1 caso
Burato: 1 caso
Bosque de Barão: 1 caso
Jardim Alto da Cidade Universitária: 1 caso
Rio das Pedras: 1 caso

Os meses de janeiro a maio, historicamente, são os de maior incidência da dengue, por conta do calor e das chuvas, sendo o pico em abril.
Este ano, as autoridades sanitárias ressaltam que a situação conta com outros fatores favoráveis à dengue. Houve um aumento de mais de 57% das notificações de dengue em todo o País no mês de janeiro. Além disso, muitos municípios paulistas e da região de Campinas enfrentam epidemia da doença.
Como evitar
Para evitar a dengue, é preciso não permitir a proliferação do Aedes aegypti. Para isso, alguns cuidados são essenciais:
– Evitar acúmulo de água, latas, pneus e outros objetos. Os vasos de flores devem ter a água trocada a cada dois dias.
– As caixas d’água e outros recipientes usados para armazenar água devem ser vedados.
– Vasos sanitários que não estão sendo usados devem ficar fechados.

Post Anterior

Estado de São Paulo já tem 100 mil casos sob suspeita de dengue

Próximo Post

Justiça limita retirada de água do Sistema Cantareira

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *