Home»RMC»Dengue avança em Campinas, Sumaré e Hortolândia

Dengue avança em Campinas, Sumaré e Hortolândia

0
Shares
Pinterest Google+
5738fee1946adb8b60b47bb8a7e0c07d
Agente faz nebulização para conter o avanço da dengue – Foto: PMC

Campinas, Sumaré e Hortolândia apresentaram um aumento considerável nos casos de notificações de dengue nas últimas duas semanas. Em menos de uma semana, as notificações de casos cresceram 132,9% em Sumaré, 85,6% em Hortolândia e 48,3% em Campinas. Apesar do salto nas ocorrências, especialista descarta nova epidemia como em 2014, mas alerta para maior incidência de casos nas cidades que sofreram menos com o surto da doença no ano passado.

Os três municípios compõem o chamado Cinturão da Dengue, formado também pelas cidades de Nova Odessa, Americana e Santa Bárbara d’Oeste, devido à alta concentração de casos no último ano.

De acordo com o levantamento do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Vigilância em Saúde, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, haviam sido registrados 704 notificações em Sumaré e 1.585 em Campinas, de 4 de janeiro de 2015 até o dia 7 de fevereiro. Contudo, os casos notificados de dengue dispararam sete dias depois, atingindo o patamar de 1.640 em Sumaré e 2.350 em Campinas, registrados até o dia 14 de fevereiro.

Sumaré é a terceira cidade com maior incidência de notificações da doença no País, no ranking de municípios com população entre 100 mil e 500 mil habitantes, atrás de Resende (RJ) – 2.162 registros – e Catanduva (SP) – 3.052. Já Campinas perde em número de notificações somente para Goiânia (GO) – 4.429 registros – no ranking de cidades com população superior a 1 milhão de moradores.

Em Hortolândia, o número de casos cresceu 85,6% em cinco dias. Ocorreram 598 notificações do início do ano até o dia 20 de fevereiro, mas o número saltou para 1.110 ocorrências, conforme divulgado pela assessoria de imprensa da prefeitura anteontem. O número de casos confirmados de dengue também apresentou aumento, passando de 46 confirmações para 91, um acréscimo de 97,8%.

Anteontem, o Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas) aprovou uma verba de R$ 3,2 milhões para intensificar o combate à dengue. Americana, Campinas, Hortolândia, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré receberão R$ 144 mil cada uma da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), enquanto Nova Odessa receberá R$ 72 mil como as demais cidades da região.

O infectologista Arnaldo Vieira avalia que um novo surto só viria com uma variação do vírus diferente do que se espalhou em 2014. “É um aumento precoce que significa que não está se conseguindo controlar adequadamente o vetor da doença, mas não acredito (em um novo surto)”.

Para ele, é possível que os casos tenham aumento considerável nas cidades que não sofreram tanto com a dengue no ano anterior. Ele também liga o avanço da doença a “fatores como ocupação urbana desordenada, coleta de lixo deficitária e até falta de cidadania de jogar entulho na rua”.

Com informações do Jornal Tododia

Previous post

Praesent egestas orci nulla at convallis tortor elementum

Next post

Obras na Glicério alteram trânsito e pontos de parada

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *