Home»Distritos Campineiros»Aumenta o número de casos de dengue em Barão Geraldo

Aumenta o número de casos de dengue em Barão Geraldo

0
Shares
Pinterest Google+

Bairros próximos à Unicamp respondem por 53% dos casos confirmados no distrito

A Unicamp e os bairros do entorno -  Cidade Universitária (I e II) e Parque das Universidades -  somam 29 casos Foto: Renato César Pereira
A Unicamp e os bairros do entorno – Cidade Universitária (I e II) e Parque das Universidades – somam 29 casos Foto: Renato César Pereira

O Centro de Saúde de Barão Geraldo faz a atualização semanal dos casos de dengue no distrito. Nesta sexta-feira, 27, estão registrados 112 casos suspeitos e 55 casos confirmados de dengue no distrito para os primeiros 58 dias de 2015.

Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde aponta que Campinas somou 1.585 casos de dengue notificados (a serem confirmados) do início do ano até 11 de fevereiro.

A Unicamp e os bairros do entorno – Cidade Universitária (I e II) e Parque das Universidades – somam 29 casos, o centro do distrito 6 casos e a Santa Isabel registraram 5 caos.

Os casos confirmados foram mapeados e os bairros correspondentes são os seguintes:

Cidade Universitária II: 17 casos

Santa Isabel: 5 casos

Centro: 6 casos

Vila Ninoca: 4 casos

Parque das Universidades: 6 casos

Unicamp: 3 casos

Guará: 2 casos

Cidade Universitária I: 3 casos

Jardim América: 2 casos

Parque Ceasa: 1 caso

Real Parque: 1 caso

Terra Nova: 1 caso

Burato: 1 caso

Bosque de Barão: 1 caso

Jardim Alto da Cidade Universitária: 1 caso

Rio das Pedras: 1 caso

Historicamente os meses de janeiro a maio são os de maior incidência da dengue, por conta do calor e das chuvas. O pico de registros, é em abril. A crise hídrica é apontada como vilã, pelo fato de a população estocar água em reservatórios domésticos que podem servir de criadouros para o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Como evitar

Para evitar a dengue, é preciso não permitir a proliferação do Aedes aegypti. Para isso, alguns cuidados são essenciais:

– Evitar acúmulo de água, latas, pneus e outros objetos. Os vasos de flores devem ter a água trocada a cada dois dias.

– As caixas d’água e outros recipientes usados para armazenar água devem ser vedados.

– Vasos sanitários que não estão sendo usados devem ficar fechados.

Previous post

Parque Portugal sedia etapa do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia

Next post

OMS: mais de 1,1 bilhão de jovens podem sofrer perdas de audição

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *