Home»Economia e Finanças»Alta cotação do dólar pode pressionar os preços dos alimentos no Brasil

Alta cotação do dólar pode pressionar os preços dos alimentos no Brasil

0
Shares
Pinterest Google+

dinheiro-792x600

A alta cotação do dólar no Brasil, que nesta semana alcançou o nível máximo desde 2004, pode “pressionar” os preços dos alimentos, com um maior impacto em hortaliças, legumes e verduras, advertiram especialistas à Agência Efe nesta sexta-feira.

O dólar fechou hoje com um valor de R$ 2,834 para a venda na taxa de câmbio comercial, uma cotação que pode elevar a importação de insumos utilizados pelo setor no curto prazo, segundo comentou à Efe o vice-presidente de Produtos do banco de crédito corporativo Indusval & Partners (BI&P), André Mesquita.

O economista indicou que produtos como hortaliças, legumes e verduras recebem um maior impacto com a alta do preço dos insumos utilizados em sua produção, diferente do que ocorre com matérias-primas agrícolas como soja, milho, café e açúcar, que compensam essa despesa com exportações em dólares.

“Esse é um mercado de ajuste muito rápido; se aumenta o custo da produção isso rapidamente se transfere para o preço que chega ao consumidor”, explicou Mesquita.

No caso das matérias-primas, o economista do BI&P destacou que, apesar do aumento dos custos de produção, o dólar alto ajuda mais ao produtor exportador.

“O dólar valorizado ajuda à agroindústria e ele já esta ajudando este ano porque muitos insumos foram comprados antes com um dólar a R$ 2,60, embora esse efeito não seja transferido totalmente para uma colheita que viverá com um real desvalorizado, como será a de 2016”, opinou Mesquita.

Agência EFE

Por sua vez, o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto Castro, disse à Efe que a desvalorização do real permitirá que a balança comercial tenha um superávit de US$ 8 bilhões em 2015, frente ao déficit de um pouco mais de US$ 3 milhões com os quais fechou 2014.

Previous post

Pesquisador da Unicamp tem artigos investigados

Next post

Nível de água melhora nos sete reservatórios da região metropolitana de SP

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *