Home»Campinas»Plano Cicloviário é desenvolvido pela Emdec junto com a sociedade

Plano Cicloviário é desenvolvido pela Emdec junto com a sociedade

0
Shares
Pinterest Google+
40b6d0242738a93b7a6891fd48a33c4c
Ciclistas campineiros participaram do workshop nesta quarta-feira – Foto: Emdec

O Plano Cicloviário de Campinas a ser implantado nos próximos dois anos foi desenvolvido pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) com a participação de representantes da sociedade nesta quarta-feira, dia 28, em um Workshop sobre Ciclovias, realizado na Faculdade Metrocamp, Vila Industrial.

O workshop contou com a presença de técnicos e engenheiros da Emdec; representantes dos cicloativistas; membros de comissões de mobilidade da Câmara Municipal; e integrantes do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT).

Na abertura do workshop, o secretário de Transportes, Carlos José Barreiro, e o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, apresentaram uma proposta de execução de ciclovias e ciclofaixas como ponto de partida para ser trabalhada e aperfeiçoada em grupos, divididos em quatro áreas da cidade.

Barreiro disse que o governo Jonas pretende concluir até o final de seu mandato, em dezembro de 2016, um viário de 100km para veículos não motorizados. “As ciclovias traçadas neste workshop deverão nortear os projetos de execução, que vão marcar o surgimento de um novo modal, integrado com os demais modais existentes” afirmou. “A proposta é de privilegiar o uso de bicicletas e do transporte público de massa para diminuir a utilização de veículos particulares nas ruas”, resumiu.

A proposta inicial da Emdec – debatida entre os participantes do workshop – mostra projetos para implantação de vias para bicicletas no município. Os principais eixos desenvolvidos foram os seguintes:

1) Avenida Mackenzie, com 6.000 metros.

2) Barão Geraldo (Moradia – Terminal), com 2.255 metros.

3) Barão Geraldo (Parque Linear), com 851 metros.

4) Barão Geraldo (Rua Francisco Humberto Zuppi), com 2.410 metros.

5) Nova Aparecida, com 1.910 metros.

6) Avenida Baden Powell, com 1.666 metros.

7) Avenida Theodureto de Almeida Camargo, com 1.564 metros.

8) Avenida Princesa D’Oeste, com 1.419 metros.

9) Avenida José de Souza Campos (Norte-Sul), com 1.142 metros.

10) Avenida Washington Luiz, com 835 metros (entre P.Prado e a Caudelaria)

Os técnicos e engenheiros da Emdec pretendem criar o novo modal com as sugestões apresentadas. A divulgação das obras e das intervenções será gradual, na medida em que os trechos forem efetivamente implantados. Está prevista, até o final do Governo Jonas Donizette, a implantação de mais três etapas de aproximadamente 25 km a serem debatidas com a sociedade e os cicloativistas.

Para colocar em prática estes projetos haverá fontes de financiamento como Proamb (Conselho Diretor do Fundo de Recuperação, Manutenção e Preservação do Meio Ambiente) e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e parcerias com a iniciativa privada através de Termos de Ajustes de Conduta (TACs)

Vale destacar que a rede de ciclovias será interligada ao Sistema InterCamp, possibilitando integração com ônibus e passará por vias arteriais das principais regiões.

Previous post

Rota das Bandeiras interrompe tráfego na D. Pedro I (SP-065), em Atibaia, para içamento de nova passarela

Next post

Média de 37% da água captada pelos municípios das Bacias PCJ é desperdiçada

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *