Home»Campinas»Preço do quilo de pão francês tem variação de 102%, alerta Procon

Preço do quilo de pão francês tem variação de 102%, alerta Procon

0
Shares
Pinterest Google+

paofrances

O pão francês está presente na grande maioria das residências brasileiras. Como é parte da rotina ir à padaria ou ao supermercado e pedir o número de pães desejados, o consumidor muitas vezes não se atenta ao valor do produto. O Procon Campinas, com o objetivo de orientar os consumidores, visitou 38 estabelecimentos e divulgou uma lista com a variação dos preços, por quilo, nas padarias e supermercados.

No caso do quilo do pão francês comum, a variação chega a 102%. O preço mais baixo encontrado foi no supermercado Bolachão (Padre Anchieta) e o mais caro nas padarias Ricco Pane (Sousas), Nico Paneteria (Castelo) e Boulangerie de France (Nova Campinas). No primeiro, o pão francês é vendido a R$ 5,90 o quilo; nas outras três, R$ 11,90 o quilo.

Para o pão francês integral, a variação foi ainda maior: 138%. Na Panificadora Adélia (Campo Grande) a equipe do Procon encontrou o menor preço, R$ 7,90 o quilo. O valor mais alto foi identificado na Padaria Alemã, em Barão Geraldo, que vende o quilo do pão francês integral a R$ 17,80.

Nos supermercados, a média de preços do pão francês foi de R$ 8,19 o quilo e do pão francês integral R$ 11,10. Nas padarias, R$ 9,74 e R$ 13,95, respectivamente. A diferença percentual entre a média de preços dos supermercados e padarias é de 19% para o pão francês comum e 26% para o integra.

Na analise por região, a Sudoeste apresentou o melhor preço médio do pão francês comum por quilo: R$ 7,20; no distrito de Nova Aparecida registrou menor preço médio do integral, R$ 7,90.

De acordo com o diretor do Procon, Ricardo Chiminazzo, pesquisar os melhores preços deve ser parte da rotina do consumidor. “Sempre orientamos que o consumidor pesquise os preços antes de comprar o produto, seja ele um eletrodoméstico ou eletrônico ou mesmo o pão e o cafezinho. Tudo tem que entrar na planilha do planejamento familiar, porque tem impacto nas despesas”, afirmou.

A pesquisa completa está disponível no site do Procon (www.procon.campinas.sp.gov.br).

Previous post

Sentença confirma regras de ocupação do entorno da Mata de Santa Genebra

Next post

EIA Rima das barragens de Pedreira e Duas Pontes chega na reta final

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *