Home»Distritos Campineiros»Barão Geraldo 61 anos

Barão Geraldo 61 anos

0
Shares
Pinterest Google+

_DSC1624

O povoado que se desenvolveu no entorno da estação ferroviária homônima, tornou-se distrito em 30  de dezembro de 1953. Daí a data comemorativa.

Num decreto assinado pelo então governador do estado, Lucas Nogueira Garcez, foram criados os distritos de Sousas, Barão Geraldo e Paulínia. Neste mesmo decreto os municípios de Valinhos e Sumaré foram desmembrados de Campinas.

Para comemorar a data, fomos bater um papo com o subprefeito Valdir Terrazan para uma retrospectiva do trabalho e das conquistas no ano que termina e a expectativa para o ano de 2015 para os moradores de nosso querido distrito.

De forma geral, e para um distrito que não tem autonomia, que depende da boa vontade do prefeito e da secretaria de serviços públicos, muitas obras foram executadas, embora não encha os olhos de nosso povo exigente.

Sabe-se que o orçamento do município para 2015 reservou R$ 50 milhões para compra de equipamentos para os distritos campineiros, incluindo os novos – Campo Grande e Ouro Verde.

Há muitas carências em diversos setores e sofremos com a falta de segurança, mobilidade, saúde e educação. Não temos uma nova escola, creche ou posto de saúde construído há mais de 20 anos.

Subprefeito Valdir Terrazan
Subprefeito Valdir Terrazan

Retrospectiva 2014

Foram feitas diversas obras de manutenção de áreas públicas, com capina, limpeza de bueiros e pintura do meio fio em diversas vias do distrito. Para executar tais serviços, a subprefeitura conta com uma equipe permanente de quinze reeducandos, egressos do sistema prisional.

A prioridade no recapeamento asfáltico ficou por conta da Cidade Universitária, que há anos sofre com a infinidade de buracos em suas vias, em que o asfalto já tem mais de 40 anos.

A estrada da Rhodia mereceu especial atenção, com limpeza e manutenção do acostamento e melhorias em todos os pontos de ônibus. Aproveitou-se deste momento em que a ponte que liga a Paulínia foi interditada e que o movimento na estrada caiu vertiginosamente para fazer reparos na via e serviços no acostamento.

O subprefeito também salientou que algumas vias ainda não foram contempladas com o serviço de tapa buracos porque o serviço ficou interrompido por cerca de vinte dias devido a interrupção de contrato por parte da empresa fornecedora dos insumos. Para recupertar o tempo perdido, quatro equipes estão espalhadas pelo distrito, executando o serviço de tapa buracos.

O Ecoponto que deve ser instalado no final da Avenida Santa Isabel já recebeu a licença ambiental e deve ser construído em meados de 2015. A verba para tal deve vir de uma TAC – Termo de Ajuste de Conduta – e o valor é de aproximadamente R$ 300 mil. Em 2014 foi realizada a limpeza do terreno e colocadas seis caçambas no local para que a população coloque ali os materias descartáveis.

Também em 2014 o distrito foi o pioneiro na mudança da coleta de lixo que passou a ser mecanizada. O distrito deverá ter mais de 1200 contêineres instalados em suas ruas. O serviço carece de ajustes na distribuição e higienização destes contêineres, além de um trabalho de conscientização da população para que deposite corretamente seu lixo orgânico.

Na área central foram instaladas trinta lixeiras fixas (de cor azul) e outras trinta devem ser instaladas nos próximos dias. A população deve usá-las corretamente e zelar pela sua conservação.

Outa informação que é de assustar refere-se à remoção e derrubada de árvores no distrito. Em 2013, devido a um forte vendaval – com ventos de mais de 100 Km/h – 550 árvores foram perdidas apenas na área urbana. Neste ano, 150 árvores foram removidas por motivos diversos. A seringueira, na confluência da avenida Santa Isabel e rua Jerônimo Páttaro, foi condenada pela SMSP e deve ser removida em breve.

Serigueira condenda deve ser removida nos próximos dias
Serigueira condenda deve ser removida nos próximos dias

Agiliza Campinas

A grata surpresa do ano foi a instalação do Agiliza Campinas junto à subprefeitura em meados de março.  Agora muito dos serviços municipais são resolvidos em Barão Geraldo e o cidadão é poupado de uma viagem até o centro da cidade.

Neste local, o cidadão tem acesso a vários serviços da administração municipal: Procon, Porta Aberta e Sanasa.

_DSC1626

Os serviços disponíveis neste novo modelo prestação de serviços da Administração são os seguintes: na Sanasa, pedido de ligação de água e esgoto, de segunda via de conta, informações de débitos e cadastro de aposentados. No Procon, orientação sobre os direitos do consumidor e de registro de reclamações e denúncias. Já o Porta Aberta recebe as pessoas que precisam fazer atualização cadastral (IPTU), emissão de demonstrativo de débitos, emissão de guias para pagamento à vista e de 2ª via de carnês e de guias do ITBI (imposto de compra de imóveis), além de negociação de dívidas e parcelamento de tributos municipais, como IPTU e ISSQN. São sete atendentes trabalhando nos três serviços.

O Agiliza Campinas está funcionando em um prédio que pertence à subprefeitura de Barão Geraldo e que era usado com barracão para depósito de materiais. O espaço foi reformado pela Secretaria de Serviços Públicos – utilizando a mão de obra dos reeducandos – e, posteriormente, adequado para atendimento pela Sanasa e IMA.

O horário de atendimento do Agiliza Campinas é de segunda a sexta-feira, das 8h as 16h, na rua Luiz Vicentin, 177, Barão Geraldo.

Novas e velhas máquinas estão permanentemente à serviço de Barão Geraldo
Novas e velhas máquinas estão permanentemente à serviço de Barão Geraldo

Planos para o biênio 2015-16

Para o ano que se inicia e também até o ano seguinte, em que se encerra este governo municipal, vários projetos e investimentos estão em andamento;

A Praça Durval Páttaro, conhecida como a Praça do Bicicross, situada no centro do distrito, vai ser revitalizada e deve receber academia de exercícios ao ar livre, melhorias na iluminação e na pista de caminhada, e adequação para para práticas de yoga, tai chi chuan, etc.  O projeto está sendo finalizado por  um escritório de arquitetura.

Também devem receber academia de exercícios ao ar livre, a Praça do Coco e o Parque Ecológico Dr. Hermógenes Leitão. Ao lado do parque ecológico, e dentro da Unicamp, a Casa do Lago deve receber outra dessas academias de exercício, mas com apoio do GGBS – Grupo Gesto de Benefícios Sociais – da Unicamp.

O Orçamento Participativo, embora tenha verba pouco significativa, prevê a instalação de creche entre o Alto da Cidade Universitária e o Bosque das Palmeiras. Reinvidicação antiga daquela população, deve sair do papel em pouco tempo. Um posto de saúde no Real Parque é outra das solicitações com que a população sonha ser atendida.

Mobilidade

Em meados de janeiro devem ser abertos os envelopes contendo as propostas para implantação da zona azul na região central do distrito.

A população ganhou um acesso ao distrito, que foi remodelado pela Rota das Bandeiras, mas ainda lutamos por melhorias no acesso ao Real Parque.

Outra demanda que deve melhorar o trânsito na área central do distrito é o projeto “mini-rótula”, ainda em estudo.

A Prefeitura vai apresentar em janeiro, na primeira reunião do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia, um estudo de um novo projeto urbanístico para o polo de alta tecnologia, o Ciatec 2, que contemple mudanças no parcelamento do solo e um novo sistema viário, dois dos maiores problemas daquela área. A proposta, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Samuel Rossilho, é facilitar a venda de terras às empresas interessadas em se instalar no local – as glebas muito grandes, de até um milhão de metros quadrados, acabam travando a operacionalização do parque. “Os proprietários não querem fazer o desmembramento e o Ciatec 2 acaba emperrado” , disse.

Essa situação é problemática também por causa do sistema viário, que precisará ser refeito. Hoje, diz Rossilho, o acesso é congestionado e complica a circulação na região. É preciso criar saída para a Rodovia D. Pedro, à Unicamp, à PUC-Campinas, enfim, melhorar a fluidez no trânsito. Atualmente, nos horários de pico, a única saída para a Rodovia Adhemar de Barros trava a tarde e pela manhã chega a formar fila na rodovia para acessar o Ciatec 2.

Finalizando

A iluminação pública será gerenciada pela prefeitura a partir de janeiro e uma licitação está em curso para a escolha da empresa que será responsável, inclusive pela melhoria da rede, troca de lâmpadas e poda de árvores. Assunto tratado até aqui pela CPFL, deverá ter um novo canal de relacionamento entre o poder público e o cidadão campineiro.

A prefeitura, atavés da Secretaria do Verde e Desenvolvimento Sustentável e uma equipe multidisciplinar, estuda a criação de uma Unidade de Conservação em Barão Geraldo. É possível que em breve teremos a ligação de todos os fragmentos de vegetação do distrito, transformando-os em corredores de fauna.

Temos, também, que lutar pela iluminação do Parque Ecológico, interrompida a pedido de um morador observador de pássaros, que poderia dar a oportunidade a quem trabalha de usufruir daquele belo local até as 21 horas.

Não é fácil administrar um distrito do porte de Barão Geraldo com seus mais de 80 mil habitantes e 40 mil moradores flutuantes. São várias demandas da população e a maior reinvindicação de todos é que os distritos campineiros sejam autônomos, política e financeiramente. Imagine ter um orçamento próprio para obras e investimentos…

Não custa sonhar!

Previous post

Novo ministro da Educação prevê reforma no currículo do ensino médio

Next post

Brasileiras fazem três vezes menos mamografias do que recomenda a OMS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *