Home»Campinas»Agricultura e Agrotóxicos é tema de debate no Boldrini nesta terça-feira, 9

Agricultura e Agrotóxicos é tema de debate no Boldrini nesta terça-feira, 9

0
Shares
Pinterest Google+

10443933_10203049088203921_1123956105_n-940x480

“Agricultura e agrotóxicos” é o tema do encontro do Fórum Meio Ambiente e Câncer da Criança e do Adolescente, hoje, 9, , a partir das 9 horas, no auditório do Centro Infantil “Domingos A. Boldrini”, em Campinas, que terá a participação de especialistas de renome e atuação internacional.

O debate terá a participação da presidente do Centro Boldrini, doutora Silvia Brandalise, do biólogo doutor Mohamed Habib, da oncologista e imunologista clínica doutora Nise Hitomi Yamagushi e do doutor Michael Antoniou, do Kings College, de Londres.

A alimentação saudável é fundamental para a prevenção ao câncer de cólon e obesidade. Desde o início do século 21, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) desenvolvem a Estratégia Global sobre Alimentação, para a difusão de alimentos saudáveis, como forma de prevenir várias doenças, inclusive cânceres.

Segundo a OMS, as doenças não transmissíveis (DNT) são responsáveis por quase 60% das mortes em todo o mundo e 45% da morbidade global. A alimentação inadequada, com a inatividade física e o fumo, está entre os principais fatores de risco previsíveis de DNT, como diversos tipos de cânceres.

Os debatedores – Os debatedores no encontro do dia 9 de dezembro, do Fórum Meio Ambiente e Câncer da Criança e do Adolescente, têm longa e rica trajetória na discussão sobre agricultura, agrotóxicos e câncer.       

O professor doutor Mohamed Habib é agrônomo, com mestrado e doutorado em Biologia, na área de Entomologia. Foi diretor em duas gestões do Instituto de Biologia da Unicamp. Também foi pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da mesma Universidade. Publicou mais de duas centenas de trabalhos em periódicos de circulação internacional e em anais de congressos. Orientou mais de 40 teses. Mohamed recebeu títulos como de “Grande Defensor da Ecologia”, concedido pela Câmara Municipal de Campinas, em 1984; Medalha dos Direitos Humanos, pela Presidência da República, em 1998; e Cidadão Campineiro, pela Câmara Municipal de Campinas, em 1999. Assessorou organismos nacionais e internacionais dentro de sua especialidade. Controle biológico de pragas e agroecologia são duas áreas em que ele continua atuando.

A doutora Nise Hitomi Yamagushi é oncologista e imunologista clínica com mestrado e doutorado em Medicina na área de câncer pela USP. Tem título de especialista pela ESMO – European Society of Medical Oncology, e do Board americano ECFMGES. Coordenou a área de Prevenção e Promoção de Saúde do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo da Fundação Faculdade de Medicina da USP e foi representante do gabinete do ministro da Saúde para o estado de São Paulo. Membro do “International Affairs Committee” da American Society of Clinical Oncology, desenvolve os projetos de Academic Clinical Trials e participa do grupo de trabalho de formação de conhecimento em “low and middle income countries” em conjunto com especialistas mundiais. Participa do Board do International Prevention and Research Institute, com sede em Lyon, de projetos para a European Comission em “Building Capacities for low and middle income countries”, além de projetos de farmacogenômica e diversidade genética do câncer na área de câncer de pulmão e outros projetos internacionais de prevenção do câncer, e mantém intenso intercâmbio científico com o MD Anderson Cancer Center. Criadora e Executive Chair da “Latin American Conferences on Lung Cancer”.

 O doutor Michael Antoniou (presença a confirmar) é bioquímico pela Universidade de Oxford e PhD pela Universidade de Reading. Desde 1998 é professor do Kings College, de Londres, onde é chefe da área de Biologia Nuclear. Tem vários projetos em terapia genética e pesquisas com organismos geneticamente modificados.

Fórum – O Fórum Meio Ambiente e Câncer da Criança foi lançado no dia 6 de agosto, com uma conferência do dr. Paulo Affonso Leme Machado, referência internacional em Direito Ambiental, área da qual ele é um dos pioneiros. Ele falou sobre o Princípio da Precaução. No dia 31 de outubro, o Fórum promoveu o primeiro debate público após a divulgação da Lista Nacional de Agentes Cancerígenos para Humanos (LINACH), publicada através de Portaria Interministerial no Diário Oficial da União do dia 08 de outubro.

Como explica a presidente do Centro Boldrini, dra. Silvia Brandalise, o fórum tem o objetivo de “chamar a atenção da sociedade, a partir da divulgação de estudos científicos, sobre a possível associação de fatores ambientais no aumento da incidência de câncer da criança e do adolescente”.

O propósito da iniciativa é de que seja um fórum permanente de debates e reflexões a respeito das implicações científicas, éticas, legais, culturais, pedagógicas, sociais e estéticas sobre a relação entre meio ambiente e câncer da criança, com apoio do Consórcio Internacional Coorte de Câncer Infantil (I4C), da Organização Mundial da Saúde (OMS), e outras instituições científicas, contribuindo para a instalação do tema na agenda governamental, empresarial, da sociedade civil e da mídia e incidindo na formulação de políticas públicas respectivas.

O Centro Boldrini está participando de estudo visando mapear a associação de fatores ambientais, culturais, sociais e a ocorrência de câncer na criança e no adolescente. Segundo a doutora Silvia Brandalise, a meta do estudo é construir um banco de dados de exposições e ocorrência de câncer e outras doenças crônicas não transmissíveis (DNCT), a partir de uma amostra de 100 mil crianças em Campinas e região. Esse contingente fará parte de uma amostra total de mais de um milhão de crianças que serão monitoradas em todo mundo, em um projeto do International Childhood Cancer Cohort Consortium (I4C), ligado à OMS.

Boldrini Hospital filantrópico localizado em Campinas (SP), é referência latino-americana e há 36 anos trata crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Atualmente, o Boldrini atende cerca de 10 mil pacientes, a maioria (80%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos centros mais avançados do país, o Boldrini reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento clínico especializado, com índice de cura de 70% a 80% em alguns tipos de câncer − comparáveis ao Primeiro Mundo −, disponibilidade de leitos e atendimento humanitário às crianças portadoras dessas doenças.

Serviço:

Fórum Permanente Meio Ambiente e Câncer da Criança

Data − 9 de dezembro, terça-feira

Horário − 9 horas

Local − Auditório do Centro Infantil Boldrini

Endereço − Rua Dr. Gabriel Porto, 1.270 – Cidade Universitária – Campinas − SP

Previous post

Campanha publicitária é lançada para estimular consumo do audiovisual brasileiro

Next post

IBGE: índice de registro civil tem aumento significativo no país

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *