Home»Campinas»Coleta mecanizada de lixo orgânico funciona precariamente na Cidade Universitária

Coleta mecanizada de lixo orgânico funciona precariamente na Cidade Universitária

0
Shares
Pinterest Google+

Serviço foi instalado há há 97 dias em Barão Geraldo mas ainda não foi aceito pela população

Coleta Mano-mecanizada
Coleta Mano-mecanizada

As principais reclamações dos moradores são:
– Falta de higienização dos contêineres, o que deveria ocorrer pelo menos a cada 30 dias, conforme panfleto de divulgação do serviço;
– A não divulgação do serviço à população local faz com que muito moradores continuem a depositar o lixo em suas próprias lixeiras. Ou seja, a empresa faz os dois serviços: a tal coleta mano-mecanizada;
– As audiências públicas citadas pelos gestores para divulgação do novo serviço de coleta de lixo ocorreram no Salão Vermelho da Prefeitura – há 15 Km de distância do bairro – em julho e novembro de 2013 e foram agendadas para tratar de “saneamento básico” na cidade.
– Distribuição das caçambas pelas ruas do bairro apresenta falhas que vão desde a falta de caçambas em alguns setores e excesso delas onde não há residências;
– Faltam faixas reflexivas nos contêineres, o que pode ocasionar acidentes, visto que não temos calçadas e a iluminação pública é ruim;
– Todas os contêineres estão pichados.
– O serviço de coleta de lixo é um dos que ainda melhor funcionava no distrito. A mudança não estava entre as prioridades. O asfalto está muito ruim, falta sinalização de solo em muitas ruas, há problema sério de segurança pública e mobilidade;
– O lixo domiciliar produzido pelos moradores da Cidade Universitária chega a 80% de material reciclado, o que evidencia a necessidade de coleta seletiva, ecoponto e cooperativa de reciclarem no distrito e em toda a cidade.

Lixeiras Baronenses
Lixeiras Baronenses
Por dentro e por fora das lixeiras
Por dentro e por fora das lixeiras
Previous post

Campinas inicia coleta mecanizada do lixo no Cambuí nesta terça-feira

Next post

Jovens negam rótulo de despolitizados e dizem que forma de participação mudou

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *